Deus e a Beleza, na terra do Ser

A beleza é algo sensorial; resultado de observação, processamento, inferência, e juízo do observador. E o observador (nós mesmos) é influenciado pela vivência e experiências que nos compõe, imposições culturais, estados emocionais, e outras tantas variáveis que uma análise detalhada poderia sugerir. “Quem ama ao feio, bonito lhe parece”.

A Beleza é como a presença de Deus: está em todo lugar, a todo tempo, tem poder sobre nossa vida, e todos pensamos conhecê-la, ou ao menos reconhecemos esse poder invisível, difícil para se descrever e conceituar, e que faz tanta diferença às nossas vidas quando percebemos a Sua sutil companhia. Deus e a Beleza a tudo permeiam, a sua (duvidosa) ausência, ainda assim é a Sua confirmação pela antítese.

Mas é interessante percebermos que assim como em nome de Deus tantas mortes e atrocidades são cometidas, também em nome, ou exaltação à Beleza tantos preconceitos são tolerados, estimulados, e disseminados em nossa sociedade.

Os padrões de Beleza que nos impõe a Mídia, e sua cultura nos fazem buscar o inatingível, e admitir uma permanente insatisfação consigo, além da própria instabilidade nas referências, pois muda a moda, mudam os padrões estéticos, e aquilo que era belo a pouco, já não é mais?! Assim como louco é perceber que o fundamentalismo religioso autoriza a matar, a apropriar-se da liberdade alheia, e por aí vai.

Na verdade não é a Beleza, nem Deus, quem assim nos impõe, mas a neurose de crermos ser os representantes terrenos de Suas manifestações.

A partir deste parágrafo quero ater-me a desenvolver idéias sobre o Belo. Uma vez que sobre Deus tanta gente saberá falar com mais propriedade.

Você já reparou como associamos a idéia do Belo ao Saudável? Que belezas excêntricas, ou exóticas nos fazem duvidar de sua saúde? E como essa aparência saudável também nos sugere vigor sexual, ou ao menos sensualidade? Essa provavelmente, Freud explica, não é? Talvez, associemos, no inconsciente, essa beleza com as melhores qualidades e atributos para a perpetuação da espécie humana.

Por isso, ao deparar-me numa primeira entrevista com um novo paciente, ao ouvi-lo dizer querer ter saúde, boa qualidade de vida, penso ouvi dizer ainda: “quero ter saúde, boa qualidade de vida, ficar bonito, porque o que eu quero mesmo é ser feliz!”. Pois como já nos disse Vinícius: “beleza é fundamental...”.

Estou propondo uma conversa franca consigo mesmo, para poder ser franco com o seu Cirurgião-Dentista. É ilusão pensar que tudo é possível e permitido, as coisas mudam, as pessoas, os fatos, o referencial, mas muita coisa é possível, e cada um de nós pode ser o nosso maior Censor.

Boa aparência é importante, e um bom conteúdo coerente com o visual é mais ainda!

Busque conversar estas questões com o seu Dentista, ele é alguém preparado para orientá-lo, atendê-lo, e mantê-lo na melhor condição de saúde e beleza desejável, e possível. Vá em frente, busque realizar o seu desejo, mas vá consciente, olhando de frente para a Realidade. Afinal, “a gente não quer só comida; a gente que, também diversão e arte!”. E eu quero mais, é te saber feliz!